Estima-se que em Portugal 500 mil homens sofram com disfunção erétil, condição caraterizada pela incapacidade regular ou permanente de obter uma ereção. Contudo, esta é uma situação com resposta eficaz em 90% dos casos que procuram ajuda, ainda assim tradicionalmente tratada, no país, apenas na sua consequência, e não na sua causa. Ao contrário, a medicina tradicional chinesa, recomenda a acupunctura, evitando os efeitos secundários de fármacos fortes.

De acordo com inúmeros estudos realizados na última década, a acupunctura é um dos tratamentos mais eficazes para a disfunção erétil, atuando a um nível global no organismo. Hélder Flor, especialista em medicina tradicional chinesa, lembra que «é preciso conhecer e ouvir o paciente de forma a conseguir estabelecer um diagnóstico adequado e saber quais são os pontos que devem ser trabalhados. A acupunctura corrige o equilíbrio energético do nosso corpo através desses mesmos pontos que, no caso da impotência, estão regularmente associados ao sistema simpático. A solução obriga a estimular os pontos do corpo para que o parassimpático entre em ação e surja para relaxar o paciente, promovendo a sincronia entre os dois sistemas», conclui.