Reflexões em quarentena (texto 8)

Observarmos um momento de silêncio Percebermos, enfim, a nossa fragilidade Conhecermos as nossas limitações Mergulharmos no nosso interior Questionarmos o nosso comportamento Sermos mais humildes Duvidarmos das nossas ações Sairmos da zona de conforto Revoltarmo-nos contra as injustiças Ouvirmos a voz da razão Agirmos com bom senso Compreender que a vida tem altos e baixos Apreciar tudo o que a vida nos proporciona Aceitar o que não podemos alterar Mudar apenas aquilo que podemos Diminuir a poluição Desacelerar o Planeta Desanuviar a nossa mente Abrandar Acreditar que estar em harmonia connosco próprios e com os outros requer esforço Reduzir o excesso de informação e de atividades Conscientizar a importância do nosso lugar no mundo Apreciar as pequenas coisas Compreender que nada faz sentido sem o outro Abraçar o amor como se fosse a coisa mais importante Encarar a nossa existência como um verdadeiro milagre Saber que a dor é inevitável, mas que o sofrimento é opcional Celebrar a própria vida Voltarmos à nossa essência Amar a vida Elisabeth Barnard Diretora da Zen Energy