Mindfulness significa prestar atenção, com intenção, no momento presente e de uma forma não avaliativa ou crítica, dando-nos a capacidade de observar o que está a acontecer ‘no aqui e no agora’, sem aprovar ou rejeitar a experiência.

É um estado de atenção no qual pode tomar consciência dos seus pensamentos, sensações físicas ou emoções no momento em que ocorrem, permitindo-lhe escolher como responde ao que está a acontecer.

 

Alguns estudos indicam que 1 em cada 5 mulheres sofrem de depressão, ansiedade ou outras dificuldades a nível emocional durante o período perinatal. Outros estudos mostram que cerca de 13 % das mães apresentam sintomas depressivos durante a gravidez ou imediatamente após o nascimento do seu bebé.

 

Porquê mindfulness  para grávidas?

Mulheres com histórico de depressão apresentam um risco mais elevado de recorrência da perturbação nos meses que antecedem ou posteriores ao nascimento do bebé. Algumas pesquisas indicam ainda que 30% das mulheres que sofreram de depressão no passado têm recaída durante a gravidez. A prática de mindfulness pode ajudar a proteger as mulheres da sua recorrência, sendo uma abordagem que promove o auto-cuidado, proporcionando, assim, maior cuidado e atenção ao bebé.

Recentemente, foi provado que o mindfulness mostra maior eficácia terapêutica do que a medicação anti-depressiva para prevenir a recorrência de depressão em pessoas que já tiveram 3 ou mais episódios depressivos.

Outros estudos mostram que a depressão pós-parto em pais é tão comum como em mulheres e que a prática de mindfulness poderá protegê-los também desta perturbação.

Além disso, o mindfulness ajuda a lidar com a dor durante a gravidez e parto. Não têm como objectivo eliminá-la ou reduzi-la. Pretende mudar a relação da mulher com as sensações dolorosas para que a experiência de dor seja menor e menos propensa a desencadear uma cascata de pensamentos negativos e emoções que ampliam a sensação. Sabemos que a dor física está associada à emocional e poder distinguir as duas de forma consciente poderá ser bastante libertador. Mulheres grávidas que praticam mindfulness relatam que se tornaram mais conscientes e aprenderam a relacionar-se de forma diferente com os pensamentos negativos que cercam as suas sensações físicas intensas, sentido menor preocupação relativamente à dor e um maior controlo sobre si próprias.

 

A importância da interacção precoce entre os pais e o bebé

A interacção precoce entre os pais e os seus bebés merece especial atenção, uma vez que é através dela que se estabelece uma base importante para as competências sociais, emocionais e cognitivas posteriormente desenvolvidas pelas crianças. Esta interacção poderá ser afectada pela preocupação excessiva, stress e ansiedade sentida pelos pais, dificultando a percepção dos sinais que o bebé lhe transmite e, consequentemente, uma vinculação segura.

A prática regular de mindfulness promove as competências parentais, gestão emocional e bem-estar e saúde. Ao praticarem a atenção plena, os pais tornam-se capazes de viver esta transição de vida com maior confiança e sabedoria. A prática de mindfulness torna-se não só uma forma de viver a gravidez e o nascimento, mas um recurso ao longo da vida que lhes proporciona maior consciência, compaixão e cuidado (de si próprios e do bebé).

Dicas para uma gravidez mindful

  1. Respeite o seu ritmo

A gravidez pode ser uma grande oportunidade para respeitar o seu ritmo. Tente evitar ter uma agenda cheia e reserve algum tempo para si. O seu corpo agradece e o bebé também, uma vez que não podemos esquecer que ele também sente a sua ansiedade (quer esteja dentro ou fora da sua barriga).

  1. Pare o piloto automático

Pode dar por si a viver nas suas preocupações e/ou pensamentos a maior parte do tempo, o que pode fazer com que fique cada vez mais ansiosa e stressada e ainda insatisfeita com a sua vida. O midfulness dá-lhe a possibilidade de observar/sentir a experiência no momento presente, de forma clara, tomando consciência das suas necessidades e aprendendo a lidar de forma mais sábia e paciente com a pressão do dia-a-dia.

  1. Procure ter uma boa noite de sono

É um dos maiores desafios durante a gravidez e nos primeiros tempos depois do nascimento do bebé. Experimente criar o hábito de fazer sestas durante a gravidez e verá que será mais fácil descansar após o nascimento do seu bebé, aproveitando o tempo em que ele está a dormir. Se for difícil adormecer, experimente algumas práticas de mindfulness.

  1. Adapte a sua prática de mindfulness depois do nascimento do bebé

A sua prática de mindfulness irá inevitavelmente mudar quando o bebé nascer.

Poderá reduzir o tempo da sua prática e aproveitar o tempo em que o bebé está a dormir. Pode demorar algum tempo até voltar às suas rotinas, mas não deixe de praticar mindfulness diariamente. Verá que irá fazer toda a diferença no seu nível de energia, paciência e capacidade para lidar com o bebé e com outras pessoas de forma mais positiva e mindful.

Artigo publicado na Zen Energy Nº77 (edição de Junho de 2015)