O que acontece quando começa o seu dia completamente desacreditado de si e da vida?

E quando o começa confiante e focado nos resultados que pretende alcançar?

Como se sente, no final de cada um deles?

 

Como encara um almoço de trabalho, quando pensa que este tipo de almoços são uma pura perda de tempo e apenas servem para bisbilhotar a vida alheia?

E quando pensa que são uma oportunidade para conhecer melhor os seus colegas, e ter a oportunidade de privar com eles um momento agradável?

Já alguma vez se questionou por que motivo quando pensa no que não quer, é exactamente o que acaba por encontrar?

Lembra-se daquele seu amigo sempre preocupado que vê dificuldades em todas as situações? E daquela sua amiga que anda sempre bem-disposta para quem a vida sorri?

Os pensamentos são o alimento da nossa mente e, consequentemente, as lentes através das quais vemos e interpretamos o mundo em que vivemos, transformando-nos e transformando-o. Isto significa que o mundo, a realidade pode ser bem diferente daquela que nós vemos, pois essa é fruto da nossa mente, do modo como pensamos.

 

Podemos escolher o modo como pensamos

Uma das maiores descobertas da Humanidade é a de que podemos escolher o modo como pensamos, o que nos permite perspectivar uma realidade diferente e obter outros resultados.

William James, um dos fundadores da psicologia moderna, e também filósofo refere: «A maior descoberta da minha geração foi a de que o ser humano pode alterar sua vida alterando sua mente.»

Ao mudar o seu pensamento, a perspectiva com que encara a realidade e as situações muda. Esta mudança permite-lhe experienciar um outro tipo de sentimentos, adoptar uma atitude e um comportamento diferente. Ao mudar o seu comportamento vai obter resultados diferentes, a sua vida e o seu mundo mudam!

 

Mude o seu modo de pensar

Se não está satisfeito e quer mudar a sua vida ou algo nela, mude!

Comece por mudar o seu modo de pensar!

 

  • O primeiro passo é decidir que quer e é possível mudar o seu pensamento.
  • Coloque-se num papel de observador de si próprio perante as situações. Que sentimentos e emoções, o seu modo de pensar e interpretar as mesmas, desencadeia em si? Como costuma agir? Quais os resultados que obtém? Como poderia nas mesmas situações obter outros resultados?
  • Sempre que pretender mudar a sua resposta a uma situação ao invés de focar o seu pensamento no comportamento/resposta que pretende evitar, comece a focá-lo na resposta que pretende alcançar. A sua mente vai começar a procurar soluções ao invés de ficar presa ao seu modo de agir anterior. Vai sentir-se invadido por um sentimento de bem-estar, motivado para agir pelo entusiasmo e diferente perspectiva que o alcance do resultado pretendido lhe vai trazer.
  • Identifique pensamentos e crenças que o fazem sentir-se infeliz. Questione a sua veracidade! Acredite que pode mudá-los e que essa mudança lhe trará resultados benéficos. Experimente substitui-los por pensamentos positivos e crenças potenciadoras! O seu cérebro substituirá a mensagem e fará a leitura que você está satisfeito, criando uma predisposição conducente ao sucesso.
  • Aprenda a criar âncoras que lhe permitam lidar melhor com situações que lhe podem provocar stress, ansiedade e mal-estar. Comece por recordar um momento da sua vida em que se tenha sentido bem e totalmente seguro de si. ‘Transporte-se’ para esse momento e para a forma como o experienciou. Logo que atinja o seu ponto máximo de intensidade, respire e agarre um pequeno objecto, ou faça qualquer gesto e diga: «Confio em mim». Repita 3 vezes. A partir desse momento o objecto escolhido ou o gesto acionado, vão funcionar como âncoras que lhe permitirão enfrentar as situações com o mesmo estado de confiança e segurança com que viveu a situação relembrada. Consoante as situações e os recursos que necessite para lidar com as mesmas, pode e deve criar diferentes âncoras.
  • ‘Condicione’ o modo como se vai sentir ao longo do dia: Tem uma música que lhe traz boas recordações e bem-estar? Ouça-a, logo pela manhã, em casa no carro, no smartphone antes de chegar ao local de trabalho. Aprenda a meditar, experimente 10 a 15min ao acordar.
  • Encare a mudança e as adversidades como oportunidades de crescimento pessoal e profissional e introduza as palavras «sim é possível; sim eu vou conseguir» no seu vocabulário.
  • Não gaste a sua energia com o que não pode controlar. Esteja consciente que não tem de agradar ao mundo inteiro. Importa sim, estar bem consigo e ser fiel aos seus valores.
  • Desenvolva o sentimento de gratidão! Comece por apreciar as inúmeras pequenas situações positivas do seu dia-a-dia, ao invés de se focar apenas em grandes questões. Comece por anotar, diariamente (ex: estou grato por…, agradeço por…),pelo menos 1 a 3 coisas positivas que lhe tenham sucedido. Crie o seu próprio livro da gratidão. Guarde-o num local de fácil acesso, para que, sempre que necessário, o possa consultar.

 

Transforme-se num agente de mudança, inspirando colegas, familiares e amigos a adoptarem um pensamento saudável. Incentive sempre os seus filhos a acreditarem nas suas capacidades para lidarem com as situações, saberem escolher e serem responsáveis pelas suas acções.

 

Como estruturamos o nosso pensamento

O modo como estruturamos o pensamento resulta de uma aprendizagem que fazemos ao longo da vida, influenciada por diversos factores (educação, identificação de padrões parentais, experiências vividas, auto-estima, informação e opiniões diversas, crenças transmitidas e adquiridas e linguagem utilizada), enraizando-se em nós como um hábito, entre outros.

Dele depende a perspectiva com que encaramos a vida, lidamos com as emoções e implementamos mudanças, que nos permitam lidar com a adversidade e a incerteza, adaptarmo-nos às transformações e obtermos melhores resultados.

Artigo publicado na Zen Energy Nº76 (edição de Maio de 2015)