Quando duas pessoas decidem casar, essa é uma decisão muito importante em vários planos, pois além de ligar as suas vidas vai também criar um laço de almas, eventualmente continuando um caminho já percorrido em vidas anteriores. Através da numerologia é possível perceber, por exemplo, se uma relação é kármica, se existe algo que devam fazer em conjunto ou se essas almas deverão simplesmente acompanhar-se para se ajudarem mutuamente.

 

Analisando Michelle e Barack Obama, é interessante verificar que têm exactamente o mesmo propósito de vida, pois as suas datas de nascimento somam ambas 29, que se reduz ao Número Mestre 11.

Barack

4/8/1961

Nº de Vida:4+8+1+9+6+1=29=11

      Michelle

17/1/1964

Nº de Vida:1+7+1+1+9+6+4=29=11

Isto significa que vêm trabalhar a igualdade e a justiça, procurando construir consensos num contexto de ética e responsabilidade social. Ambos estudaram Direito e exerceram advocacia, o que está na linha dos seus propósitos de vida, mas uma outra leitura que pode fazer-se do 11 por ter duas energias de 1 que se espelham, é de que da integração dos opostos poderá nascer uma nova realidade. Ao tornarem-se o primeiro casal presidencial afro descendente estão a cumprir o propósito de vida de forma mais ampla e simbolicamente muito importante para a sociedade americana, trazendo para a Casa ‘Branca’ uma energia contrastante de cor negra. E aqui, neste simbolismo de branco e negro, cumprem em conjunto os seus propósitos de vida, acompanhando-se e ajudando-se no cumprimento dos seus papéis.

Todavia, as diferenças entre ambos surgem noutros aspectos, pois o dia de nascimento de Michelle mostra capacidade de liderança e de iniciativa individual, enquanto o de Barack mostra capacidade de trabalho e muita persistência, mas fraca capacidade como líder. Karmicamente existem também diferenças significativas:

Barack

4/8/1961

4 8    8

8-4 = 4

8-4 = 4

4-4 = 0

8-8 = 0

Karma: 8

Michelle

17/1/1961

 81    2

8-1 = 7

8-2 = 6

7-6 = 1

2-1 = 1

Karma: 15

Quanto a Barack, em vidas passadas teve existências de grande trabalho sem liberdade nem reconhecimento e pode ter já vivido na sociedade americana, mas numa situação humilde, como por exemplo, de escravo. O seu karma mostra que vem usar as suas capacidades de trabalho para materializar projectos, ganhando assim consciência do seu poder pessoal, o que constitui o seu grande exemplo para os negros americanos.

Quanto a Michelle, traz de vidas passadas padrões de arrogância e rigidez, tendo provavelmente vivido em ambientes muito fechados, como por exemplo, famílias muito austeras e conservadoras ou comunidades com padrões muito rígidos, eventualmente a roçar o fanatismo. Assim, o seu karma tem a ver com excesso de apegos a crenças e a verdades entendidas como as únicas certas.

 

Almas companheiras

Encontramos deste modo duas almas que escolheram fazer o seu caminho para se ajudarem uma à outra, Barack ser ajudado por Michelle a ganhar confiança em si próprio, já que isso é algo que a alma dela já sabe como fazer, e Michelle ser ajudada por Barack a ser mais humilde e mais tolerante.

Nada indica, portanto, que exista karma a resgatar entre estas duas almas na presente existência, mas sim um caminho de ajuda recíproca, fazendo delas almas companheiras. Até quando esse acompanhamento durará? Pode ser para toda a vida ou terminar antes disso, o livre arbítrio tem aqui uma palavra a dizer. Contratos ou compromissos firmados antes da existência física acontecer poderão não ser cumpridos se essa for a escolha, pois na verdade temos liberdade de decisão mesmo que seja para optar pelo menos certo para nós.

Um casamento pode ser o início de um inferno ou de um passeio com companhia pelo caminho da vida, um acerto kármico ou uma ajuda recíproca. Quando conseguimos perceber isso e agir em conformidade teremos dado um passo gigante no nosso processo de expansão de consciência.

Artigo publicado na Zen Energy Nº69 (edição de Outubro de 2014)